quarta-feira, 13 de março de 2019

Como tratar meu cabelo pós luzes





Outro dia falamos sobre o desejo de ser loira. Hoje vamos falar sobre os cuidados que devemos ter após um processo de descoloração, ou seja após fazer as famosas e desejadas mechas ou luzes.
Para falar disso eu preciso que você entenda o que ocorre com os seus fios durante a retirada do pigmento natural dos cabelos, ou mesmo dos artificiais depositados nos fios por meio de colorações permanentes ou tonalizantes.
A haste capilar (nosso fio) é dividida em 3 partes:

  • cutícula que é a camada externa do fio, protege o interior do fio.
  • córtex que é a parte do meio e a maior das 3; é aqui que encontramos grânulos de melanina responsável pela cor, além de proteínas em maior parte a queratina, líquido e lipídeos que são responsáveis pela força e elasticidade dos fios.
  • lá no centro temos a medula.

Para que ocorra o clareamento dos fios é necessário o uso de descolorantes e oxidantes. Juntos eles abrem as cutículas dos fios, chegando até o córtex (a camada do meio) retirando os pigmentos, acontecendo a desnaturação proteica, ou seja, uma perda considerável de massa capilar, podendo também gerar danos morfológicos modificando a estrutura e enfraquecendo os fios.

Como havia dito no outro post é muito importante o agendamento de uma terapia capilar adequada para um procedimento pós luzes onde ocorrerá a devolução da massa que se perdeu no processo.
É necessária uma reposição proteica e lipídica enquanto ainda as cutículas dos fios encontram-se abertas devido ao processo químico.

Existem várias possibilidades de protocolos terapêuticos para que seus cabelos sejam recuperados imediatamente após a luzes.
Aqui no ViaGomide contamos com protocolos de marcas conhecidas e respeitadas no mundo das terapias e na tricologia como Davines, Wella e NPPE. Essas marcas possuem todas as ferramentas necessárias para obter um resultado eficiente em suas madeixas.

Uma dica importante é que devemos dar continuidade à terapia feita no salão no dia a dia  em casa, usando bons produtos. Todo o home care pode ser indicado pela sua terapeuta capilar visando suprir a necessidade dos seus fios.

Outra dica é que não devemos fazer um autodiagnostico quando o assunto é cabelo, o excesso do depósito de alguns componentes como a queratina, tão citada aqui, pode gerar um enrijecimento ou ressecamento nos fios. Agende sempre um diagnóstico!

texto: @raquelnoce

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

Eu, morena, posso ser loira?




Sim, claro que pode, mas antes é preciso considerar e avaliar alguns pontos.

Qual loiro você quer?
A partir daí precisamos saber sobre a saúde dos seus fios:

- Você faz alguma química como progressivas? Há tons desejados de loiros que não podemos fazer com o cabelo processado, ele não tem saúde para passar por uma descoloração e não ser danificado.
- Você pinta seu cabelo?
- O que usa para cuidar da saúde dos seus fios?

Isso tudo é muito importante na hora de definir suas luzes!
Seguem 3 dicas preciosas para você que planeja fazer luzes:

1- Trate de maneira adequada seus cabelos antes de fazer um processo de luzes. Existem terapias capilares para fortalecer os fios repondo queratina, lipídios ou o que for necessário no momento para que seu fio fique saudável antes de um processo químico.

2- É importante usar o Olaplex, um produto colocado dentro da química de descoloração e após o enxágue para evitar a quebra dos fios e preservar a integridade do cabelo.

3-Por último sempre faça um tratamento após as luzes, para repor tudo que se perdeu.


Saindo um pouco da questão da saúde dos cabelos, outro ponto importante é saber qual loiro vai te valorizar e vai harmonizar com sua pele, te deixar mais iluminada... Se você acompanha o ViaGomide, sabe o que estamos falando; a Análise de Coloração Pessoal.

Esse processo é feito com tecidos que possuem cores com dimensões variadas assim como a nossa pele; temperatura, profundidade e intensidade das cores.
Esses tecidos colocados próximo ao rosto interagem com a pele e ela responde de maneira positiva ou negativa.
Assim funciona com as cores dos loiros; quando repetimos nossas informações na cor das luzes temos harmonia garantida.

Cuidando desses pontos, você poderá sim ficar loira na medida correta e sem se preocupar com danos para sua imagem e para seu cabelo.


Texto: @raquelnoce

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

O que é esfumar a raiz?

Cor para subtom de pele quente da Poliana, esfumando e matizando com tonalizantes.


Cor para subtom de pele frio de Izabela, feita somente com mechas, 
sem matização ou esfumado algum.
Cores acima feitas pela colorista Marcelle Curi no ViaGomide. 



Você se lembra daquelas luzes super claras das raízes às pontas, que se fazia antigamente? Ou quando algumas louras pintavam o cabelo todo de louro?
Acabou isso há muito tempo, felizmente!
Na busca incansável pela beleza natural no ViaGomide, sempre adoramos luzes suaves, delicadas, passíveis de serem retocadas com muitos meses de intervalo. Destaque mais de claridade somente nas pontas. 
Aí veio a moda de contorno, que é aquela antiga mechinha mais clara, longa, no topete, porém feita em todo o contorno e com efeito muito natural, em degradê de escuro nas raízes para claro no meio e nas pontas. 

E afinal o que é esfumar as raízes?
Muitos cabeleireiros preferem aplicar tinta ou tonalizante nas raízes do cabelo  para criar aquele fundo escurinho, depois de uma pausa esfuma-se penteando aquela tinta pela área próxima das raízes, mixando essa cor com a cor que normalmente aplicam no meio e pontas para matizar; dar nuances   específicas e variadas sobre as luzes e todo o restante do cabelo, tonalizando-o. 

E aí? Isso é bom?
Bem, se você não tem brancos para cobrir, será que você precisa de tinta ou tonalizante sobre todos os fios, sendo que você foi lá fazer luzes?
As luzes são alguns fios descoloridos, certo? Mas você sairá com todos os fios processados. 

E se por acaso você tiver o subtom de pele frio, conforme análise de coloração pessoal, complica mais. É  muito comum o cabelo processado com tonalizante desbotar alaranjando, ou ficando chocolate, o que não agrada às pessoas que precisam de cores frias em torno do rosto. Neste caso é difícil disputar com o castanho natural, que normalmente é frio e aceita muito naturalmente a descoloração de luzes em cores frias como dourado claríssimo, palha ou platinado. 

Mas... é possível fazer o efeito esfumado e suave nas raízes, sem marcar, em degradê de escuro para claro nas raízes? Sim, é possível. Só que dá mais trabalho e leva mais tempo para ser realizado este serviço no salão.  No ViaGomide pensamos que fazer assim vale a pena, sem esfumar,  para as clientes bem jovens e que não tem brancos, assim como para todas as clientes que querem manter o máximo de naturalidade, ou que querem fazer o mínimo de intervenção para fazer cor. 
Já para quem tem brancos a serem tonalizados e já tem mesmo que usar coloração tonalizante ou tinta, ou querem "esquentar" do o cabelo, sim, vale a pena esfumar as raízes com a técnica que os salões tem usado. 

Sugerimos discutir os detalhes da técnica a ser usada em sua cor, para que não haja decepção ou mal entendido na hora do resultado. 

terça-feira, 29 de janeiro de 2019

O que é terapia capilar?



A terapia capilar é um procedimento feito para a prevenção e tratamento de problemas relacionados ao couro cabeludo e a haste capilar (fios).
Tudo começa em uma análise feita com tricoscópio (aparelho de ampliação), para se identificar a necessidade de cada um.
Essas necessidades variam desde hidratação, nutrição, reconstrução, reparação, fortalecimento e brilho, até tratamento de disfunções do couro cabeludo como Alopecias e Dermatites.

A terapia se dá em um tratamento completo após essa análise, podendo ser feita de acordo com uma proposta de protocolo montado com sessões semanais, quinzenais ou mensais, até que o problema seja sanado.

O profissional capacitado a realizar este serviço é ser formado em Terapia Capilar pela ABT (Academia Brasileira de Tricologia).
Diante de um problema com o cabelo ou o couro cabeludo o terapeuta capilar pode ajudar muito! Ele é a pessoa mais disponível para ensinar a cada um, de forma personalizada, a cuidar do próprio cabelo em casa e realizar um atendimento de qualidade com resultados no salão de beleza.
É comum as pessoas terem seu próprio cabeleireiro mas nem sempre seu próprio terapeuta capilar. Ele é o link entre o cabeleireiro e o dermatologista, preenchendo uma lacuna de cuidados necessários e com grandes benefícios nos cuidados para a valorização da beleza natural que um cabelo bem cuidado e saudável possui.

No ViaGomide é oferecido um diagnóstico e indicações de cuidados caseiros gratuitamente, visando fazer uma apresentação minuciosa das possibilidades de uma terapia capilar. Marque o seu!

texto: @raquelnoce

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

O que é transição capilar?


-->
Ariadne e Jessica após finalizarem
suas transições capilares



Se imagine daqui a 12 meses! Como será seu cabelo de você para de fazer progressiva?
 Comece agora e em 12 meses seu cabelo terá crescido o suficiente para um corte final retirando todo o alisamento! Você ficará livre! Então pare agora de fazer processos de alisamento.
Por que 12 meses?
O cabelo cresce por volta de 1 cm por mês e fios de 15 cm fazer um belo corte curto, charmoso, histórico! Se suas raízes já estão grandes e você se decidiu agora sua transição será mais rápida.

A transição capilar é aquele período de crescimento do cabelo enquanto ele está com o comprimento quase todo liso devido a processos químicos de alisamento.
Neste processo de transição é importante que se aprenda a conter um pouco os cachos das raízes com técnicas de finalização para que as raízes possam não parecer muito altas já que as pontas não acompanharão o seu movimento, ficarão pesadas e lisas.
Com as pontas lisas é necessário fazer cortes que estimulem sua “saúde” e ajudem a dar movimento, estimulando também este movimento com técnicas de finalização que promovam movimento e volume, para se assemelharem às raízes.

Quanto mais cedo é feito o corte final, de retirada total  das partes lisas, chamado big chop, melhor! Libertação!
Mas muitas pessoas precisam de um tempo para tomar coragem para fazer esse corte radical. O processo de transição é justamente este tempo, quando seus apoiadores vão incentivá-la, compartilharão vídeos, testemunhos, fotos, produtos, dando força visando aumentar a motivação em direção àquela mudança de vida.
Quem são estes apoiadores? 
  • Amigas que já passaram pela transição;
  • Influencers;
  • Hashtags no instagram;
  • Mas o principal; seu novo cabeleireiro!! Será muito difícil que aquele salão de beleza onde ia-se  alisar o cabelo apoie um processo de transição. O melhor mesmo é buscar profissionais como notório saber em cabelos anelados e crespos.


quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

Faz diferença o leave-in?




A principal questão a ser observada na hora de escolher seu leave-in é se ele exerce controle forte ou leve sobre os cabelos e qual é o seu objetivo em usar um creme sem enxágue. O que você quer que ele faça para o efeito final de seu cabelo? Brilho? Controle? Maleabilidade?  Veja na descrição do produto a sua indicação e cheque reviews na internet.

Um cabelo grosso, que tente a dar muito frizz, bem anelado, poderá se dar muito bem com um leave-in que uma outra pessoa detestou pois deixou o cabelo dela meio duro.
Exemplo: Curls Rock da TIGI. Alto controle, amado pelas madeixas volumosas e cabelos de fios grossos. Pesado demais para cachos de quem tem pouco cabelo e quer os cachos ou ondas soltas, naturais, com volume.

Já uma pessoa com este cabelo grosso que dá frizz não vai ficar com os cachos e o volume controlados  com um leave-in super da moda, lançamento, mas que é super levinho...
Exemplo: SHRD. Todo mundo quer, mas não serve para todo mundo. Caso seu cabelo não tenha ficado feliz com ele, tire-o do armário e use-o no dia seguinte: vai ficar ótimo, ele ajuda a polir o cabelo que já está seco e deu frizz, além do mais é uma proteína, trata.

Portanto, como fazer para achar seu leave-in?
·      Indicação de quem entende do seu cabelo é o primeiro passo: o cabeleireiro que tem conhecimento notório sobre o seu tipo de cabelo, e uma terapeuta capilar para completar com a indicação dos produtos de tratamento.
·      Segunda opção é indicação de uma amiga que tenha o cabelo muito parecido com o seu.
·      Finalmente provar antes de comprar é o ideal. Se seu cabeleireiro tem vários produtos experimente quando for lá. Anote o que foi usado e sinta o efeito. Deu certo? Pode comprar. Se uma amiga tem um leave-in bacana e te indicou, peça-lhe uma amostrinha (depois compartilhe suas descobertas também).

E depois que deu certo sua técnica de finalização (tem muitas técnicas, falaremos depois) e seu creme sem enxague, tem que ser só ele? Não! Nem a técnica tem que ser sempre a mesma. São vários os looks possíveis para um cabelo, dependendo da finalização.

Você pode ir experimentando, até montar um kit com os produtos ideais para cada situação: dias de chuva... aff. Dias de sol,  dias secos, dias frios e úmidos, praia, campo.